Funcionários próprios X terceirizados

Muito se discute sobre as diferenças e os custos entre contratar funcionários por conta própria e terceirizados. Entretanto, para fazer essa análise, existem muitos fatores que precisam ser avaliados.  Por esse motivo, a conta não é tão simples de se fazer.
O custo e as vantagens da modalidade de trabalho escolhida irá variar de acordo com a realidade e necessidade de cada contratante e existem várias formas de fazer a comparação, uma delas, é seguir os passos abaixo:

1º passo – Salários

É importante observar o piso salarial da sua região, ou categoria, e somar outros pagamentos de natureza salarial como horas extras, noturnas, prêmios, moradia, auxílio combustível e outros. Para simplificar, uma forma de pensar é que tudo que o funcionário recebe PELO trabalho, é considerado salário. Somente o que é imprescindível PARA que ele realize suas funções, não é considerado.

Por exemplo:

Todos os anos você compra uma cesta de natal para presentear o funcionário da área da limpeza. Como essa cesta não será usada para que ele realize suas atividades. Isso é considerado remuneração.

2º passo – Encargos Sociais

O pagamento de salário implica em outras obrigações conhecidas como encargos sociais.

Ressalta-se que há muitas controvérsias em torno desse tema, mas oferecemos percentuais estimados, que podem variar também de acordo com a atividade da empresa e o tipo de contrato de trabalho:

ENCARGOS PERCENTUAIS
INSS 27,50%
FGTS 8,00%
FGTS rescisório 50% 4,00%
Férias 8,33%
13.º Salário 8,33%
Retorno de Férias 2,78%
Encargos Férias (FGTS e INSS) 4,19%
Encargos 13.º (FGTS e INSS) 3,14%
Sub- Total 66,27%
Previsão de faltas e auxílio doença (*) 13,73%
TOTAL 80,00%

 

Dessa forma, o custo é aproximadamente o valor do salário com o acréscimo de 80% desse valor.

3º passo – Insumos

Além dos salários e encargos, existem outros itens obrigatórios em sua maioria, que devem ser observados:

  • Uniformes e Equipamentos de Proteção Individividual
  • Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) /Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais (PPRA) / Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP)
  • Plano de saúde
  • Seguro de vida
  • Cursos
  • Ticket Alimentação,  Cesta Básica, lanches e almoços cedidos
  • Vale Transporte
  • Outros benefícios cedidos
4º passo – Gestão da Mão de Obra

Para que se obtenha o melhor de cada colaborador, e o serviço seja executado da melhor maneira, se faz necessária uma gestão eficiente:

  • Serviços administrativos
    A administração de um empregado exige um profissional ou uma empresa qualificada, que se encarregue pela folha de pagamento, o fornecimento de informações aos empregados e aos órgãos governamentais, contra-cheques, folhas de ponto, fichas de registro, acompanhamento em homologações, arquivo e organização de documentos e muitos outros.
  • Recrutamento e Seleção
    Esse investimento é importantíssimo para que sua empresa ou condomínio tenha a melhor mão de obra para o trabalho. O valor desse investimento varia de acordo com a rotatividade e a realidade de cada lugar.
  • Supervisão e Treinamento
    O treinamento e o acompanhamento dos trabalhadores é importante para a qualificação e integração da equipe de trabalho. Por isso é importante que a equipe tenha um supervisor próximo que possa dar suporte, orientar e também cobrar melhorias.
  • Gestor
    Tempo é dinheiro! O tempo dos diretores, gerentes, síndicos e outros responsáveis pelas decisões, também deve ser contabilizado para essa estimativa.

5º passo – Outros custos

  • O empregador é responsável pela programação das substituições, no caso de faltas, licenças médicas e férias.
  • Ao demitir um empregado, o contratante pode optar por indenizar o aviso prévio, de acordo com as circunstâncias e previsão legal.
  • Outra conta ainda mais difícil de fazer, é quando um empregado contratado há muitos anos, precisa ser demitido. Em alguns casos,  seja pelo momento, ou por algum descuido na gestão durante esse tempo, a empresa ou o condomínio não possui caixa para bancar as obrigações referentes à esse processo. Dessa forma, o empregador se vê obrigado a manter um trabalhador que pode não estar correspondendo às necessidades e causando prejuízos ao contratante.
  • Todos os pagamentos que serão realizados aos funcionários possuem prazo. Dessa forma, o atraso de um único dia, incorre em pagamento de multa.
  • É importante fazer uma provisão para ações trabalhistas, com o objetivo de  se proteger e poder arcar com acordos e passivos que são naturais das relações de trabalho. Além de custas processuais, advogados e assessorias jurídicas.

Tentamos relacionar os principais itens que geram custo na manutenção dos contratos de trabalho no Brasil, atualmente. Entretanto, os fatores são tão diversos que sempre aparece uma situação nova. Além disso, é necessário considerar as mudanças frequentes na legislação vigente que podem impactar esses itens.

Do 3º ao 5º passo, a terceirização pode ajudar na redução de custos. As empresas especializadas possuem convênios com fornecedores, gestão profissional, experiência e infra-estrutura focada nos serviços que você precisa. Além disso, trabalhando com empresas sérias, que andam com suas obrigações em dia, você ganha a segurança de não lidar com gastos imprevistos no futuro.

Sugestão de leitura: Caso tenha interesse em aprofundar mais esse assunto sugerimos o estudo “ENCARGOS SOCIAIS NO BRASIL: CONCEITO, MAGNITUDE E REFLEXOS NO EMPREGO”  produzido pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).