ECONOMIAS ILUSÓRIAS NAS CONTAS DO CONDOMÍNIO

FalsasEconomias

Alguns gastos são inevitáveis em um condomínio, mas é preciso ter em mente que eles podem se tornar maiores ou menores, de acordo com o planejamento e a administração. É importante avaliar com cautela opções que inicialmente aparentam ser econômicas, levando em consideração a melhor relação custo-benefício e a segurança, para evitar gastos desnecessários e dores de cabeça futuras, como no caso da contratação de funcionários próprios.

Sempre que falamos em gestão temos que pensar em curto, médio e  longo prazo. Gerir pessoas não é diferente. Em um primeiro momento e em curto prazo, ter o próprio funcionário é uma opção significantemente mais barata. Entretanto, o custo da contratação,  os encargos sociais, juntamente com indenizações, faltas, férias, substituições, horas extras, práticas irregulares, procedimentos que não observam a legislação trabalhista e eventuais ações na justiça podem ter um impacto expressivo nas contas do prédio e no bolso dos moradores. Especialmente na ocorrência de fatos inesperados que exigem um caixa muitas vezes indisponível.

Outro fator que deve ser levado em consideração é que em condomínios, é cada vez mais difícil encontrar moradores dispostos a assumir a função de síndico e a gestão de pessoal é um fator que contribui para isso. Portanto, a manutenção de funcionários próprios muitas vezes implica no aumento da remuneração do síndico para estimular candidaturas ou até mesmo na contratação de uma empresa para assumir essa responsabilidade. Ou seja, mais gastos.

O gasto com funcionários pode representar 60% das despesas de um condomínio. Além disso, é preciso constante atenção para que o funcionário não realize horas extras indevidas, não haver atraso nos prazos legais e que suas férias não acumulem, ou seja, o síndico deve ficar muito atento para que o período aquisitivo de férias seja rigorosamente cumprido, a fim de evitar multas de valores expressivos. Enxugar o quadro de funcionários é uma opção, mas para isso é preciso fazer outros investimentos, como instalar um circuito interno de TV e portaria eletrônica  e, paralelamente, cuidar das demandas do prédio. 

A terceirização é uma ótima saída. Entretanto, necessita-se de rigor na análise de  contratos, buscando por empresas que tenham boas referências e muita experiência no ramo, como a CWR – Gestão de Mão de Obra, que atua há 20 anos no mercado e é reconhecida pela excelência na prestação dos serviços e por sua  idoneidade.