Anéis de segurança em condomínios

BLOG---seguranca

Quem mora em prédios pode até não se dar conta disso, mas desde o momento em que a pessoa coloca o pé para fora do seu apartamento até o momento em que ela sai para a rua, existem várias barreiras que funcionam como uma proteção para o condômino. Tais obstáculos são chamados de anéis de segurança. Alguns exemplos deles são a portaria de acesso externo de pedestres, o portão de entrada/saída de veículos da garagem, o perímetro externo, o hall de entrada (acesso interno de pedestres), os elevadores, as portas corta-fogo de cada andar e, finalmente, as portas dos apartamentos.

É fundamental, para a segurança individual de cada morador e também da coletividade, que cuidados sejam tomados para a proteção dos anéis de segurança. Equipamentos como câmeras, barreiras eletrônicas e cercas elétricas não apenas incrementam a proteção, como também inibem a ação de bandidos, pois, quando o malfeitor encontra dificuldades já no primeiro anel de segurança, pode acabar desistindo da ação. Entretanto, a maior parte das invasões ocorrem por negligência no controle de acesso. Por isso, é possível ter uma segurança ainda maior, acrescentando barreiras, como a implementação de eclusas nas entradas sociais e de garagem do prédio. Dessa forma, uma pessoa mal intencionada, encontra mais obstáculos na entrada e, ficando presa dentro dessas barreiras, fica em evidência a presença de um indivíduo sem permissão de acesso.

Para uma gerência qualificada da circulação de pessoas, muitos condomínios optam pela contratação de porteiros ou vigias para fazer esse serviço. Por outro lado, prédios de menor porte podem encontrar dificuldades, em razão do custo de manter um profissional ou uma empresa dedicados exclusivamente a isso. Dessa forma, o investimento em portaria remota, serviço pelo qual a procura tem crescido cada vez mais nas grandes cidades, em função do custo acessível em relação às vantagens trazidas – se apresenta como uma excelente alternativa para incrementar a proteção.

É importante ressaltar que sistemas de segurança ajudam, e muito, na guarda do condomínio, mas a verdadeira proteção é feita em conjunto. É preciso conscientizar os moradores e incentivar que medidas preventivas façam parte da rotina condominial. Cuidados como manter bicicletas presas com cadeados e portas dos apartamentos trancadas, assim como não deixar objetos de valor no interior do veículo e o respeito às normas internas, são essenciais. Só com a ajuda de todos, o condomínio estará realmente seguro como um todo.